NOVIDADES

10.02.21

Scania prevê alta no mercado de caminhões em 2021

Após os profundos impactos da pandemia do coronavírus em 2020, a Scania está otimista para 2021. De acordo com projeção da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) o mercado de caminhões poderá crescer 15%, na comparação com o período anterior. Neste ano, haverá novidades de melhoria continua da Nova Geração, lançada em 2018, e quem chega primeiro é o Acelerador Inteligente Scania, que passa a ser vendido pela rede a partir deste mês para toda a linha. Com ele, subirá a promessa de economia de combustível da Nova Geração de 15% para 20% sobre a geração passada. 

 

“É lógico que a pandemia continua e segue impactando o mundo, mas o setor de transportes iniciou uma retomada a partir de agosto passado e não há sinais de desaceleração. O agronegócio segue forte. De acordo com projeções da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção total de grãos na safra 2020/21 deverá chegar a 264,8 milhões de toneladas, alta de 7,9 milhões de toneladas se comparado com a safra 2019/20, quando a colheita foi de 256,94. Do outro lado, a recuperação da produção industrial vem demandando muitos caminhões e fazendo a economia girar. O Banco Central aposta em um crescimento de 5% para este ano. Seguiremos dando todo o apoio aos clientes”, afirma Silvio Munhoz, diretor de Vendas de Soluções da Scania no Brasil.

 

“No mercado fora de estrada, é esperado mais um ano forte da mineração, a continuidade das obras de infraestrutura do governo federal, do reaquecimento da construção-civil e do setor sucroalcooleiro (pouco impactado pela crise e com forte demanda para soluções de biometano), além da renovação das frotas do segmento florestal”, diz Munhoz.

“Além disso, vamos continuar com força máxima liderando a transição para um sistema de transporte mais sustentável. A Scania vem provocando transformações profundas no mercado desde que anunciou a chegada da linha movida a gás natural e/ou biometano. Começamos a vender em 2019, na Fenatran, iniciamos as entregas em abril de 2020 e chegamos a 70 unidades vendidas totais. Para 2021, queremos chegar a 200 caminhões a gás vendidos. Cada dia mais e mais embarcadores incentivam seus transportadores para colocarem em suas frotas alternativas ao diesel. A solução Scania é comprovadamente um sucesso. É uma resposta importante que estamos dando para a sociedade que pede por opções para um planeta menos poluído. É o caminho viável “Aqui e Agora” para o Brasil até a eletrificação.”          

                        

Chegada do Actcruise

 

O ano passado marcou o segundo ano das entregas da Nova Geração, um sucesso absoluto em economia de combustível que ganhou novo aliado. Em julho, foi lançado com a Edição Especial Heróis da Estrada, a tecnologia Actcruise, a evolução do controle de cruzeiro Ecocruise, de série na linha rodoviária. O Scania Actcruise atua por meio de posicionamento via GPS e um mapa topográfico integrado ao módulo de conectividade para gravar rotas e aproveitar aclives e declives de maneira mais eficiente. Dessa forma, o caminhão poderá economizar até mais 3% de combustível.

 

2020: Apesar da pandemia, mercado reagiu em agosto

 

Na faixa de atuação da fabricante (acima de 16t – semipesados e pesados) – foram 8.690 caminhões emplacados, ante as 12.755 unidades de 2019. A participação de mercado foi de 12,9%. As aplicações que mais se destacaram foram para o agronegócio e as cargas gerais. Com quase 1.100 unidades, o segmento fora de estrada registrou um ano forte na mineração. Já a indústria, nesta faixa, registrou 67.410 veículos versus 74.917 (2019).

Nos pesados, a Scania emplacou 8.712 caminhões, contra os 12.667 de 2019. A participação foi de 12,9%. A indústria computou 44.290 veículos versus 52.137 (2019). Nos semipesados foram 22 unidades emplacadas.

 

“O ano de 2020 foi de muitos desafios. Ficamos com a fábrica fechada por um mês, fomos os primeiros a reabrir em 27 de abril, mantivemos 95% da nossa carteira no auge da pandemia e acompanhamos o desenrolar dos meses ao lado dos nossos clientes. Ficaram diversas lições e o mercado, a indústria e os clientes passaram por transformações que já estão incorporadas no dia a dia. O Brasil mostrou mais uma vez sua capacidade de reagir nas crises”, salienta Munhoz.

 

R 450 e R 500, os campeões da Scania

Os dois modelos mais emplacados da marca foram o R 450, com 3.576 unidades, e o R 500 que teve 1.672 modelos registrados, de acordo com o ranking da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) e do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). “Vale destacar ainda o crescimento das vendas do R 540, subindo a cada mês e sendo muito bem aceito em diversas aplicações, especialmente no agro”, conclui Munhoz.

TAGS